CriançaSemRisco

domingo, 12 de março de 2006

Caminhos a percorrer...

O Diário de Notícias na revista de hoje dedica uma entrevista e um artigo às crianças mal tratadas. A entrevista ao Juiz Conselheiro Armando Leandro é uma boa viajem ao mundo do sistema de protecção das crianças, onde a demagogia de uma outra direcção da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco (CNPCJR), numa cruzada contra a mudança da Lei de Protecção, deu lugar ao idealismo quase onírico de um Homem que acredita talvez demais na Humanidade, na Sociedade e no Direito. Lógico que o Juiz Conselheiro Armando Leandro nunca pode ser julgado por acreditar na Humanidade. E ainda bem que acredita!!! Contudo, ao fim de algum tempo, o movimento de apelo constante à comunidade civil como primeira responsável pela protecção das crianças começa a cansar. Não que a tese esteja errada mas pela falta de eco que o apelo produz. Na prática, pregar aos peixes tem exactamente a limitação de se estar a pregar aos peixes.

Cremos que é preciso algo mais para mudar o sistema de protecção vigente. Uma terceira via entre a demagogia política e o sonho humanista. Um caminho traçado pela ciência, pela formação técnica e que assente na competência dos principais agentes. Não faz sentido que não existam médicos de Medicina Legal, com competência e formação específica para fazer um diagnóstico de maus-tratos nos diversos hospitais centrais, concentrando-se esta valência específica da Medicina Legal somente em Lisboa, Coimbra e Porto. Também não faz qualquer sentido que não exista formação ao nível das diferentes tipologias de maus-tratos. Como é que um técnico de serviço social pode fazer um diagnóstico se desconhece os quadros nosográficos dos maus-tratos infantis? Quantos técnicos sabem o que é uma Síndrome de Münchausen ou uma Síndrome da Criança Abanada?

Na verdade, a qualidade da parentalidade não salta sempre à vista. Exige-se avaliações pormenorizadas e técnicas sobre a qualidade da vinculação. Sendo assim, como é que não existe um único protocolo alicerçado em instrumentos estandardizados de avaliação da vinculação?

Enfim... o que pretendo com este texto é sublinhar a necessidade do sonho e do ideal abrirem o caminho à ciência e a técnica.

PVS