CriançaSemRisco

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Workshop Group Dynamics

Nos dias 21 e 22 tivemos a oportunidade de trabalhar dois dias com Lionel Stapley (Director da OPUS) sobre dinâmica consciente e incosnciente de grupos, usando para esse efeito o método de "Small Study Groups" introduzido por W. Bion na Tavistock no anos 50.

Foi uma excelente introdução ao estudo psicodinâmico do funcionamento dos grupos. O próximo passo, sem sombra de dúvida, terá que ser uma conferência de Group Relations.



Fica a foto para a posteridade.

PVS

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Promessa cumprida

O Instituto de Segurança Social já disponibilizou o Relatório PII - 2008 (Plano de Intervenção Imediata), relativo à caracterização das Crianças e Jovens que têm a seu favor medida de Promoção e Protecção de Acolhimento Familiar ou Residencial.

É de louvar a taxa de desinstitucionalização superior aos 25% tidos como meta para a presente legislatura. É bom quando as promessas são cumpridas.

PVS

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Dois blogues a visitar

Em pleno Verão, chamo a atenção para o blog do ATL da Galiza em Cascais e para o blog da escolinha de rugby da Galiza, no Estoril. Ambos estão deliciosamente recheados de fotografias de crianças a divertirem-se em diversas actividades. Vale a pena visitar estes blogs e ver o trabalho realizado pelo ATL da Galiza na integração de crianças e jovens da freguesia do Estoril.

TSM

terça-feira, 11 de agosto de 2009

O destino do cabrito

Jean-Claude Carrière, no seu livro "Tertúlia de Mentirosos - contos filosóficos do mundo inteiro", conta-nos a seguinte história retirada da tradição popular indiana:

O destino do cabrito
O cabrito foi um dia ter com Brama, o criador, e queixou-se amargamente da sua condição.
- Todas as criaturas - diz ele - querem fazer de mim seu alimento. Como pode isto ser, ó poderoso Brama, servir-lhes eu assim de alimento? Achas justo?
Brama escutou-o e respondeu:
- Que queres que te diga, meu filho? Eu próprio, quando te vejo, sinto água na boca.

O mundo é o que é.

Infelizmente, na minha experiência de acolhimento residencial, tenho constatado que o natural "desencanto" dos adolescentes de risco com perturbações emocionais e do comportamento, faz com que se vão confrontando (e não confortando) com uma série de "Bramas" ao longo da sua história de "protecção social". As crenças, atitudes e valores dos "cuidadores" destes jovens, são na minha opinião o prioritário objecto de trabalho quando se fala em formação especializada.

NPF