CriançaSemRisco

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Sexy Inc. Our Children Under Influence

A não perder. Um documentário de 35 minutos de Sophie Bissonnette (2007) sobre a hipersexualização infantil, os seus efeitos e algumas dicas para lidar com o fenómeno. Para visualizar, clicar sobre Parte 1, Parte 2, Parte 3 e Parte 4.

Com o objectivo de sensibilizar para a questão, foi desenvolvido um guia para facilitar a utilização deste material junto de diferentes grupos, desde pais a quaisquer outros cidadãos interessados no assunto. Para fazer o download do mesmo, clicar aqui.

Mais informação disponível no website http://films.nfb.ca/sexy-inc.

ADC

sábado, 13 de novembro de 2010

XVIII ISPCAN International Congress on Child Abuse and Neglect (2010)

Estou há umas semanas para escrever estas linhas. Tal demora em partilhar algumas coisas que retirei do XVIII Congresso Internacional da ISPCAN - International Society for the Prevention of Child Abuse and Neglect advém do facto de este ser um daqueles congressos que nos marcam e cujas aprendizagens que deles retiramos demoram o seu tempo a “digerir” mentalmente e a arrumar na secretária.

O mesmo já me havia acontecido com o congresso regional da ISPCAN a que assisti na FIL de Lisboa em 2007 (+info). O que me cativou desde então na ISPCAN é a sua natureza multidisciplinar que se reflecte nas publicações e eventos. Partindo da promoção dos direitos da crianças, e adoptando este carácter holístico, a ISPCAN procura estimular a investigação e divulgação de práticas inovadoras de prevenção e tratamento relativos a todas as formas de crueldade para com crianças e jovens. Vale a pena espreitar o site oficial, conhecer melhor a actividade desta sociedade e ler as várias publicações que partilha gratuitamente. De entre as disponíveis, destaco "Preventing child maltreatment: A guide to taking action and generating evidence".

O congresso internacional da ISPCAN realiza-se de dois em dois anos e, em cada ano que separa os dois congressos internacionais, um outro congresso regional realiza-se na Europa, assim como noutras regiões do mundo. O próximo europeu será na Finlândia em Setembro de 2011 e o deadline para submissão de abstracts é 15 de Março (+info).


Mas voltando ao congresso internacional da ISPCAN de 2010. Realizou-se em Honolulu em associação com o Kapi’Olani Child Protection Center. À excepção de não conseguir encontrar o programa do evento online, nada tenho a apontar à organização. Gostava de partilhá-lo pois é sempre interessante folhear os programas e perceber o que se anda a pensar/fazer nas nossas áreas de interesse. Se alguém quiser ter acesso ao mesmo, pode contactar-me directamente. Por ora limito-me então a partilhar alguns documentos disponíveis online - uns mais recentes que outros - associados ao evento (para aceder basta clicar sobre os títulos) . Espero que vos sejam úteis. Boas leituras!

The State of the World's Children - Special Edition Celebrating 20 years of the Convention on the Rights of the Child (UNICEF) - Nota: Estatísticas disponíveis aqui.

Strengthening Families and Communities (US Dep. of Health and Human Services - Administration for Children and Families)

Adapting a Systems Approach to Child Protection: Key Concepts and Considerations (UNICEF & University of Chicago) - Nota: Embora a versão online esteja apresentada como draf, já confirmei e é igual à versão final em papel.

Strategic Information for Child Protection (UNICEF)

Protecting Children Journal (American Humane Association) - Nota: É possível fazer o download gratuito de vários documentos.

Information and Resources for Childwelfare Professionals (The California Evidence-Based Clearinghouse for Child Welfare)

ADC

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Há pessoas que nos marcam...

Penso que todos nós temos pessoas que nos marcaram de alguma maneira, sejam estas familiares, amigos ou professores. Neste último caso confesso que tive a sorte de ter encontrado alguns professores que me marcaram distintamente e que me ajudaram a ser quem sou, não só enquanto pessoa, mas também na minha vida profissional.

Tive há pouco a notícia que uma dessas pessoas morreu recentemente, António Candeias, Professor de Ciências da Educação no ISPA (onde o conheci) e depois na Nova. Recordo-o como professor da cadeira de ciências da educação no 2º ano do ISPA, onde tantas vezes tentava que pensássemos e nos provocava de forma enérgica, mas que depois referia que tentava fazer com os alunos, o mesmo que lhe tinha sido feito pelos professores que o marcaram mais e com quem sentiu que tinha aprendido.

Mas recordo-o principalmente como alguém que teve a paciência de ouvir em várias tardes de Verão dos anos 90, os projectos e ideias de um seu jovem aluno, tendo ainda a paciência de ler os trabalhos deste sobre história, literacia e ascensão social na idade média. Teve a paciência de escutar e ajudar a pensar o que fazer com essas ideias, com sentido crítico e de realidade, não deixando de alertar para o risco de diletantismo e dispersão inerente a vários e tão díspares interesses.

Lembrei-me várias vezes nestes anos dessas conversas ( cheguei a comprar a sua tese de doutoramento), apesar de ter perdido o contacto desde essa altura. Se calhar as conversas de que me lembro não são as que tive exactamente. Mas a sensação de ter conversado, de ter sido ouvido e a sua forma de pensar marcou-me. Se calhar um pouco da forma como tento ser em formações tem a ver com as aulas do António Candeias. No final de contas, tento fazer em formação o mesmo que os professores com quem aprendi mais, e que me marcaram, fizeram comigo. António Candeias foi indiscutivelmente uma dessas pessoas.

Pode-se ver aqui o seu precurso académico.

Tiago

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Guia Inglês sobre Acolhimento de Crianças

O National Institute for Health and Clinical Excellence do Sistema Nacional de Saúde Inglês (NHS), publicou um guia para a promoção da qualidade da intervenção com crianças em acolhimento residencial e acolhimento familiar (looked-after children).


O guia é uma boa referência actualizada do estado da arte e uma base de estudo para as equipas Portuguesas.

Para aceder ao documento basta clicar no link: Promotiong quality of life of looked-after children and young people.

Boa Leitura

Pedro Vaz Santos

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Intervenção em Contexto

Cada vez mais é unânime que a intervenção terapêutica é mais eficaz quando realizada em contexto de rotina diária. Já por diversas vezes reforcei este tema, quando discuti a importância das equipas educativas das instituições de acolhimento aproveitarem a rotina da instituição para trabalharem dimensões emocionais.

A tendência de trabalhar em contexto não é exclusive do Acolhimento Residencial, cada vez mais na área da Intervenção Precoce e no apoio às necessidades educativas especiais NEE as evidências cientificas dão conta que a intervenção mais eficaz é que utiliza o professor / educador como primeiro terapeuta, ocupando o "perito", por exemplo um terapeuta da fala ou um psicólogo no lugar de consultor do educador.

Esta perspectiva tem crescido no estados unidos e pode ser consultada no site do projecto Connect. No site poderão encontrar alguns vídeos interessantes sobre a metodologia e algumas informação útil. Irão também encontrar referência a uma colega nossa a Raquel Corval que no presente está a trabalhar neste modelo de intervenção e na sua adaptação para o contexto português.

Pedro Vaz Santos

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Guia para o Sistema de Protecção

A Comissão Nacional de Crianças e Jovens em Risco, publicou um guia de intervenção para o sistema de protecção de crianças e jovens em perigo.

O guia tem alguns pontos que vale a pena realçar:
- Modelo Ecológico de Avaliação, baseado no modelo Inglês.
- Sublinha cada vez mais que o sistema destina-se à intervenção na área dos Maus Tratos, mais do que área do combate à pobreza.
- Sublinha bem que os procedimentos de urgência nomeadamente a aplicação do Art.º91 só pode ocorrer em casos muito, muito excepcionais, nomeadamente quando o perigo é actual. Não se podendo aplicar este procedimento face a uma situação ficcionada.

Guia de Orientações

Pedro Vaz Santos