CriançaSemRisco

sábado, 30 de março de 2013

O poder do amor


Para os católicos a Páscoa é Amor. É Amor incondicional que se dá sem querer nada em troca.

Ao longo deste ano temos tido a oportunidade de trabalhar com famílias e profissionais de uma generosidade imensa que diariamente dão o seu Amor a crianças que tiveram histórias difíceis.

Deixamos então o nosso vídeo da Páscoa, com votos de muito Amor.



PVS

terça-feira, 26 de março de 2013

O Tiago Está de Parabéns


O Tiago acabou defender a tese e foi muito elogiado, passou com "minor corrections" o que é excelente!!

PARABÉNS!!!

PVS

Um dia importante "Força Tiago"




PhD Viva

Hoje é um dia muito importante para o nosso amigo Tiago Sousa Mendes, co-autor deste blog. 

quarta-feira, 20 de março de 2013

Encontro CPCJ Lisboa Ocidental - A CPCJ e A Comunidade

Hoje tive a honra e o prazer de participar no encontro da Comissão de Protecção de Lisboa Ocidental. Quase sem voz, e após muito chá de cebola com mel, receitado pela terapeuta da fala, visto a alternativa ser chá de perpetua roxa muito difícil de encontrar, coube-me a mim o titulo complicado "O impacto da crise nos técnicos: como evitar o burnout e assegurar um melhor serviço".

Tentei partilhar com a audiência de como cada vez mais estou céptico face às intervenções Top Down e que existe uma dualidade constante no papel dos técnicos nas Comissões de Protecção, uns dias parece que o papel é do tipo mais terapêutico ajudar as famílias a encontrarem as suas soluções para os seus problemas noutros dias parece que o papel é mais do tipo controlo social, garantir que as famílias não fogem da normatividade social.

Presos nesta dualidade, os técnicos tem particular dificuldade em percepcionarem a qualidade do seu papel e paralelamente uma enorme dificuldade de comunicarem a sua verdadeira função às famílias. Nesta encruzilhada vejo cada vez mais alguns colegas a ficarem exaustos perdidos, e zangados com as famílias.

Hoje tentei lançar dois desafios:

1. Clarificar muito, muito, muito bem o papel dos técnicos das CPCJ's

2. Quem assume um papel terapêutico, deve uma vez por todas, abdicar das abordagens Top Down nas quais o técnicos assume a responsabilidade pela receita da mudança e desimplica a família, na medida que constrói com ela as soluções.

Obrigado CPCJ Lisboa Ocidental!

PVS

sábado, 16 de março de 2013

Centenário do nascimento de João dos Santos

Comemora-se este ano o centenário do nascimento de João dos Santos, notável psiquiatria e psicanalista que decididamente influenciou a saúde mental infantil em Portugal. O texto abaixo (assim como a foto) é retirado do site dedicado às comemorações do centenário www.joaodossantos.net. Chamo ainda a atenção para a edição de suas obras completas que está a ser levada a cabo pela Assírio e Alvim.

TSM

***

"O ano de 2013 assinala o centenário do nascimento de João dos Santos.

João dos Santos foi o criador da moderna Saúde Mental Infantil em Portugal e o grande impulsionador da viragem da Psiquiatria Infantil que de uma especialidade enraizada na Psiquiatria de adultos passou a uma especialidade autónoma. Foi um dos primeiros psicanalistas portugueses e um dos fundadores da Sociedade Portuguesa de Psicanálise. Desenvolveu um olhar novo sobre o valor da arte no desenvolvimento da criança e sobre a educação na família, na escola e na comunidade, criando concepções e ensinamentos originais e modos inovadores de formação de pais e professores.

Como democrata lutou durante o fascismo pela criação de serviços de saúde mental de qualidade que eram então verdadeiros desafios políticos e que continham a semente da prática e dos princípios científicos que preparavam o futuro.

O seu percurso académico e a sua sólida formação em Psiquiatria e Psicanálise permitiram-lhe proceder a rigorosas pesquisas sobre a criança.

João dos Santos criou uma obra escrita inovadora concretizada numa obra institucional em prol da protecção materno-infantil e da prevenção e intervenção em Saúde Mental Infantil. Obra que ainda hoje ajuda a compreender as causas mais profundas do sofrimento psíquico e das patologias da criança, do adolescente e do jovem.

João dos Santos começou por ser professor de Educação Física, licenciou-se depois em Medicina, tendo logo orientado o seu interesse e formação para a Psiquiatria. Trabalhou com Vítor Fontes no Instituto António Aurélio da Costa Ferreira e com Barahona Fernandes no Hospital Júlio de Matos onde foi um dinamizador incansável da modernização das clínicas infantis.

Por motivos políticos (ligação ao Movimento de Unidade Democrática) foi afastado do serviço público.

Partiu para Paris em 1946 onde sob a orientação de Henri Wallon foi investigador no Centro de Pesquisas Científicas de França (C.N.R.S.) no Laboratório de Biopsicologia da Criança. Trabalhou com G. Heuyer, J. Ajuriaguerra, H. Ey, A. Thomas. Trabalhou também no Serviço de G. Heuyer, primeiro professor de Neuropsiquiatria de França, no Hospital “Enfants Malades” e no Centro Alfred Binet, dirigido por Serge Lebovici. Aqui, entre outros, trabalhava também René Diatkine que seguia como Lebovici as novas correntes psicodinâmicas e se tornaram psicanalistas. Lebovici foi o pioneiro da Psicanálise infantil em França.

Colaborou ainda com M. Bachet, psiquiatra da penitenciária de Fresnes.

Regressou a Portugal em 1950.

João dos Santos criou, com colaboradores, a seção de Higiene Mental do Centro de Assistência Materno-infantil Sofia Abecassis, o Colégio Eduardo Claparède, os dois primeiros Centros Psicopedagógicos portugueses, um na Voz do Operário outro no Colégio Moderno, o Centro Infantil Helen keller, a Liga Portuguesa de Deficientes Motores, a Associação Portuguesa de Surdos, a Liga Portuguesa contra a Epilepsia. Colaborou na criação do Centro de Saúde Mental Infantil de Lisboa de que foi o seu primeiro director. Aí existiram desde o início, equipas de serviço ambulatório no Dispensário Central e no Dispensário do Hospital Dona Estefânia, além da equipa das clínicas infantis do Hospital Júlio de Matos. Mais tarde foram criados outros serviços como o Laboratório de Electroencefalografia, Laboratório de Bioquímica, a Escola dos Cedros – serviço de adolescentes, a Casa da Praia – Externato de Pedagogia Experimental e a Unidade de Primeira Infância (UPI).

João dos Santos foi o inspirador da criação do Instituto de Apoio à Criança (IAC).

Foi Professor na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação e na Escola Nacional de Saúde Pública.

Em 1985, a Faculdade de Motricidade Humana atribuiu a João dos Santos o título de Doutor Honoris Causa.

As comemorações deste centenário visam divulgar o pensamento de João dos Santos, ainda hoje tão inovador, com o objectivo de se fazer uma reflexão que indo ao passado, passe pelo presente e se projecte no futuro. Este percurso no tempo e nos lugares, passando pelas várias áreas da sua prática e saber, vai certamente permitir tecer sentidos entre elas e incentivar novas ideias e novas práticas para o futuro."

quarta-feira, 13 de março de 2013

Novo Visual

O nosso blog está a mudar de visual, uma cara lavada que queremos mais funcional e user friendly para os nossos leitores. O grande objectivo é facilitarmos a leitura nos tablets e nos telemóveis esperamos que tenhamos conseguido.

Algumas funcionalidades de partilha e de interligação com redes sociais ainda não estão totalmente configuradas, por isso pedimos desculpas.

Nesta fase de testes todos as gralhas que possam encontrar não hesitem em enviarem-nos por mail para termos feedback.

Obrigado!

PVS

segunda-feira, 11 de março de 2013

Unboxing - Um projecto Anti-Bullying "To this day"

É com muito orgulho que partilho convosco o desenvolvimento dos últimos dias do Unboxing - o projecto anti-bullying da Associação "Crianças da Vila".

Neste momento, o projecto foi apurado para a 3ª Ronda do Concurso BES "Realize o Seu Sonho" e continua a trabalhar na esperança de conseguir levar esta ideia e este sonho às nossas escolas.

No entanto, confesso que não é por este facto que me sinto tão contente, mas sim por perceber que se calhar finalmente começamos todos a olhar o Bullying como um problema legítimo, maior, que precisa e grita por soluções.

Curiosamente, deparei-me hoje com um vídeo que não resisto em divulgar. Shane Koyczan partilha conosco um poema seu com uma poderosa história acerca do bullying e sobrevivência. "To this day". Vale a pena!



CBR

quarta-feira, 6 de março de 2013

Intervenção com Crianças Traumatizadas

Um dos modelos mais actuais e mais interessantes para sistematizar o trabalho com crianças com experiências traumáticas precoces é o ARC (Attachment Regulation Competency) desenvolvido por Blaustein & Kinninburgh (2010).

Com o objectivo de sistematizar numa apresentação o model, eu e a Joana Baptista criámos uma apresentação prezi que gostávamos de partilhar com todos os profissionais que trabalham com estas crianças.



Se gostava de saber mais sobre este modelo e como se pode operacionalizar em contextos terapêuticos específicos, não hesite em enviar-me um mail. Pode ainda inscrever-se na formação Intervenção com Crianças Traumatizadas: Trauma, Família e Risco a realizar-se no Porto nos dias 30 e 31 de Maio e 6 e 7 de Junho.

Referências:

Blaustein, M., & Kinniburgh, K. M. (2010). Treating traumatic stress in children and adolescents : How to foster resilience through attachment, self-regulation, and competency. New York: Guilford Press.

PVS

sábado, 2 de março de 2013

Curso Intervenção com Crianças Traumatizadas: Trauma, Família e Risco

Porto, 2013

30 e 31 de Maio

6 e 7 de Junho




Os profissionais, quer do sistema de protecção quer dos diferentes serviços de saúde mental da infância e juventude, confrontam-se diariamente com crianças que viveram histórias traumáticas. Muitas destas crianças desenvolveram sintomas emocionais e comportamentais que indiciam sofrimento e a necessidade de uma atenção especializada.

Nos últimos anos a investigação nas áreas da Neurobiologia e da Psicologia do Desenvolvimento têm contribuído decididamente para a construção de modelos terapêuticos com base em evidências científicas que os tornam mais eficazes no tratamento de crianças com histórias de trauma.

É importante que todos os profissionais que trabalham com crianças vítimas de abuso e negligência no âmbito do sistema de protecção ou no sistema de saúde tenham uma prática informada pelos modelos actuais sobre o impacto que a experiência traumática tem no desenvolvimento infantil.

A formação será uma oportunidade não só de actualização dos profissionais como também de reflexão sobre a construção de programas terapêuticos para estas crianças.

SITE DA FORMAÇÃO

INSCREVA-SE JÁ!

PVS

Nas entrelinhas da acção quotidiana