CriançaSemRisco

domingo, 29 de abril de 2012

Como a crise está a afectar as crianças gregas

Uma angustiante reportagem a ler no Público de hoje.

"Reportagem: Como a crise grega está a afectar as crianças" Maria João Guimarães, 29/04/2012

ADC

sábado, 28 de abril de 2012

Desafios da Adopção

A revista Lux "Especial Criança" deste Verão trás algumas ideias pessoais sobre os desafios que os pais adoptivos enfrentam na construção de uma nova família.

Fica a sugestão de leitura em causa própria.

PVS

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Projecto Multisendas assinala Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância

Assinalando o Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância, foram organizados em Aveiro, pelo Projecto Multisendas (Programa Escolhas), dois encontros temáticos a decorrer nos dias 3 e 29 de Maio:
  • "Crianças vítimas de maus-tratos" (3 de Maio) - dinamizado por Susana Tavares e Carina Oliveira (Instituto Nacional de Medicina LegalGabinete Médico-Legal de Aveiro);
  • "Maus-tratos psicológicos" (29 de Maio) - dinamizado pela Equipa Técnica da Clínica Bebés e Crescidoscom a orientação de Eduardo Sá.
Atenção: as inscrições acabam hoje!

Segue abaixo:
Programa
Ficha de Inscrição

CBR

Ordem dos Psicólogos disponibiliza acesso a artigos científicos via EBSCO

São óptimas notícias e um passo em frente na qualidade da Psicologia em Portugal. A Ordem dos Psicólogos está de parabéns pela iniciativa! O acesso é feito através da área pessoal no site da Ordem. Aqui fica o link para um documento com instruções para utilização da base de dados EBSCO.

ADC

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Amanhã há cinema. "Complexo: Universo Paralelo" no Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância

Amanhã na Biblioteca Orlando Ribeiro (Lisboa), às 20h30, no âmbito do Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância.



Um documentário de dois irmãos portugueses, Mário e Pedro Patrocínio, sobre a sua passagem pelo Complexo do Alemão, uma das mais complexas favelas do Brasil. No final há espaço para comentários com a participação de Carlos Poiares (professor catedrático e director do Departamento de Psicologia da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias), António Pedro Vasconcelos (realizador de cinema), Mário Patrocínio (realizador do filme) e João Farinho da Silva (presidente da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Lisboa Ocidental). A entrada é livre.

ADC

Mais crianças a recorrer a linhas telefónicas de apoio

Há mais crianças a recorrer à Linha SOS Criança (chamada grátis: 116 111) e à Linha da Criança (chamada grátis: 800 20 66 56) do Provedor de Justiça. Notícia a ler no blog "Crianças a torto e a Direitos" (clicar aqui).

ADC

Crianças mais velhas estão no final das listas para adopção

Muitos pais têm receio em adoptarem crianças mais velhas. Este receio das famílias compreende-se; adoptar uma criança mas velha é diferente de acolher um bebé. Uma criança em idade escolar tem uma consciência muito clara do que é a adopção e obviamente tem de ser um actor muito activo no processo de integração e construção de uma nova família. É verdade que recentemente temos ouvido falar de adopções que correm mal e de crianças que são devolvidas. A nossa experiência diz-nos que uma adopção bem trabalhada e apoiada de um criança mais velha pode ser uma adopção de sucesso. É importante que quem adopte uma criança mais velha saiba que a adopção é um processo bidireccional, isto é, os pais tem que adoptar obrigatoriamente a história da criança e a criança necessariamente adoptar a história dos pais. Para isso é importante que os pais sejam curiosos sobre o passado e vivências da criança e paralelamente estimulem a curiosidade da criança sobre a história da família adoptiva nomeadamente sobre a construção do desejo dos pais em adoptarem.

Recentemente, com o objectivo de apoiar estas e outras famílias corajosas, aceitei o desafio do CADIn de organizar um consulta específica nesta área, a "Consulta da Adopção e Novas Relações Familiares".

Para os interessados, fica aqui uma reportagem da RTP sobre o assunto:

Crianças mais velhas estão no final das listas de escolha para adoções - País - Notícias - RTP
Pedro Oliveira Pinto/Manuel Liberato/Paulo Maio Gomes/Nuno Santiago/Virgílio Matos
22/04/2012

PVS

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Rótulos II

Não quero que pensem que não acredito em diagnósticos. Na verdade até acredito que tenham alguma utilidade. Não acredito em diagnósticos simplistas feitos sem bons protocolos de avaliação, baseados em breves descrições de comportamento.



Será que todos os miúdos com ADHD (Perturbação de Défice de Atenção e Hiperactividade) têm mesmo ADHD?

PVS

Rotular crianças

Recentemente vi este excelente vídeo numa conferência da Professora Ana Rodrigues da FMH-UTL / CADIn que, para além de inspirador, desafia-nos a não ficarmos presos nos diagnósticos e a olharmos para as crianças de um outro vértice.



PVS

terça-feira, 24 de abril de 2012

Alienação parental: uma história que se repete. Só mudam as personagens.

A poucas horas do Dia Internacional de Consciencialização sobre a Alienação Parental, deixo-vos com o trailer do documentário “Indizível” e com o testemunho de uma adolescente, hoje adulta, que conta a história da separação dos seus pais em “As vítimas somos nós” (Público, 22/04/2012).



Para quem queira saber mais sobre este fenómeno, recomendo uma visita ao site da Associação Portuguesa para a Igualdade Parental e Direitos dos Filhos e ao site da Associação Pais Para Sempre.

ADC

Sistema centralizado de vagas

Gostava que alguém me explicasse a utilidade de um sistema burocrático de gestão centralizada de vagas de acolhimento de crianças que retira a cada comunidade a capacidade de auto-organizar-se e de acolher as suas crianças nas instituições de proximidade.

A situação actual roça o ridículo e o perigoso para as crianças. Sem me referir a nenhuma situação em concreto, no último trimestre já me confrontei com dois casos reais nos quais as crianças estiveram acolhidas mais de um mês numa unidade de emergência, sem frequentarem a escola, à espera que lhes seja atribuída uma vaga numa instituição. O ridículo é que a vaga sempre esteve lá. O mais obsceno é que a vaga era perto de casa, da família, da escola, da rede primária e secundária da criança. Podemos perguntar porquê este compasso de espera? Verdadeiramente não sei.

Não vale a pena defendermos um modelo de Comissões de Protecção de Crianças e Jovens de base concelhia, para depois encaixarmos um sistema de gestão de vagas ao nível distrital.

PVS

segunda-feira, 23 de abril de 2012

"Príncipes do Nada"

Estreou esta noite na RTP1 mais uma série dos "Príncipes do Nada". Uma óptima oportunidade para sairmos da nossa zona de conforto e confrontarmo-nos com toda uma realidade de crianças verdadeiramente em risco

Fica aqui a apresentação.



CBR

Crianças em risco enchem hospitais

O conceito de criança em risco / perigo como todos os conceitos tem um dimensão social e cultural. Ser uma criança em perigo em Portugal não é o mesmo do que ser uma criança em perigo num país subdesenvolvido. A dimensão social dos conceitos levanta muitas questões e parece que relativiza a severidade das situações, mas pragmaticamente a realidade social é que determina o que é e não é aceitável.

O sistema português de promoção e protecção das crianças, colocado no terreno no início do século, deu por adquirido um conjunto de conquistas sociais, o direito à educação, o direito à saúde, o direito à alimentação. Direitos estes que nos dias de hoje estão claramente postos em perigo e que merecem um reflexão urgente.

Há uns dias ouvia alguns técnicos de saúde preocupados a dinamizarem acções de educação sexual nas escolas do 1º ciclo (acções pertinentes sem dúvida) nas mesmas escolas onde a saúde escolar já não consegue garantir consultas de Oftalmologia e onde o rastreio da visão e audição não estão garantidos. Ridículo!!!

Talvez seja altura de sem preconceitos voltarmos ao básico.

Crianças em risco enchem hospitais - Sociedade - Sol

PVS

Sugestões de leitura no Dia Mundial do Livro

A book is a proof that humans are capable of doing magic.
Carl Sagan



Porque os livros abrem portas para o conhecimento e as bibliotecas são lugares mágicos, neste Dia Mundial do Livro, partilho dois livros da minha biblioteca pessoal relacionados com a intervenção com crianças e jovens em risco de que gosto particularmente.


A edição anterior, de 2008, do "Interviewing for Solutions" está disponível para leitura no Google Books (clicar aqui).


Disponível para leitura no Google Books (clicar aqui). Boas leituras!

ADC

domingo, 22 de abril de 2012

Que é feito dos filhos que sobram da guerra entre os pais?

"Que é feito dos filhos que sobram da guerra entre os homens e as mulheres?" no Público de 22/04/2012. A poucos dias de se assinalar o Dia Internacional de Consciencialização da Alienação Parental, esta é uma leitura a não perder sugerida pela Alda Portugal na página de Facebook do Blog Crianças em Risco.

Aqui fica um pequeno excerto que me parece importante sublinhar.

..."Esta guerra ideológica em torno do tema da alienação parental, explorada por ambas as partes de forma demagógica e como se fosse um problema de género, tem sido extremamente prejudicial à defesa dos interesses da criança", considera Catarina Ribeiro, docente da Universidade Católica e psicóloga no Instituto Nacional de Medicina Legal. Defende que o termo "é o menos importante": "O comportamento descrito como alienação parental existe e é relevante. É verdade que em caso de litígio há acusações de abusos sexuais falsas e verdadeiras - e o que é que se faz perante isto? Não se discute como havemos de lhe chamar - estuda-se, investiga-se e criam-se condições para um despiste rápido e eficaz das falsas acusações", defende."...

ADC

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Campanha "Acontece" - E se se esquecesse dos seus filhos à porta da escola?



Campanha promovida pelo IMVF - Instituto Marquês de Valle Flôr. Sem palavras.

Ler mais na Visão Solidária (clicar aqui).

ADC

Compreender o Autismo

Não sou a pessoa que mais gosta de etiquetas e rótulos mas este vídeo sobre o autismo está bem feito e ajuda a desmontar algumas ideias.



PVS

Influência do acolhimento institucional

O acolhimento em instituição infelizmente ainda continua, na nossa opinião, a ser excessivo. Não achamos que todas as instituições sejam más ou que o acolhimento institucional não possa ser terapêutico e estruturante para uma criança; simplesmente achamos que deve ser a medida de protecção mais bem ponderada e alvo de uma reflexão intensa. Por vezes sentimos que o acolhimento acaba por ser um medida de recurso, do tipo "já que em meio natural as coisas não estão resultar então opta-se pelo acolhimento institucional". Esta é uma lógica mais ou menos do tipo "se com este remédio não resulta damos outro mas não olhamos para a bula nem para a indicação".

Encontrei um estudo espanhol elaborado pela Universidade de Granada que mostra bem os riscos do acolhimento institucional. Aqui fica o link para "Influencia del Acogimiento Residencial en los Menores en Desamparo".

PVS

Quando ir ao psicólogo (Paulo Oom)

Fonte: http://www.paisefilhos.pt

Esclarecedor artigo do pediatra Paulo Oom publicado na Pais & Filhos (28/09/2011). A ler aqui.

ADC

NSPCC e os primeiros passos da protecção de crianças

Escreveu o Reverendo George Staite ao Liverpool Mercury em 1881:

"…whilst we have a Society for the Prevention of Cruelty to Animals, can we not do something to prevent cruelty to children?

A NSPCC - National Society for the Prevention of Cruelty to Children é uma referência na protecção de crianças e jovens no Reino Unido. Foi criada em 1884 e desde então tem sabido acompanhar as mudanças da sociedade, sempre atenta às necessidades das crianças e à defesa dos direitos destas (download de um resumo histórico aqui).

Lembrando estes early days, eis um dos posters de sensibilização da comunidade. Data de 1900!

Fonte: http://www.facebook.com/nspcc

E para quem quiser receber as últimas actualizações desta organização, é explorar os recursos online:

Website: http://www.nspcc.org.uk
Facebook: http://www.facebook.com/nspcc
Twitter: https://twitter.com/nspcc

ADC

quinta-feira, 19 de abril de 2012

"A cor púrpura" no Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância

Baseado no romance premiado de Alice Walker, "A cor púrpura" (1985) é um clássico de Steven Spielberg que aborda temas sensíveis como a violência sexual e a discriminação racial e de género. Mas é também uma história de amor e amizade. Sublime.



Amanhã na Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, em Lisboa, às 20h30 e com entrada livre. No final há espaço para debate com António Ponces de Carvalho (director da Escola Superior de Educação João de Deus), Esmeralda Ferreira (presidente da CPCJ de Cascais) e Vasco Câmara (crítico de Cinema).

ADC

Es.Col.A da Fontinha na primeira pessoa

Esqueça-se a comunicação social. Nada como o discurso directo para conhecer e pensar sobre a história do projecto comunitário Espaço Colectivo Autogestionado do Alto da Fontinha .



ADC

Direitos das Crianças

Porque nunca é demais lembrá-los.



Apresentados pelas crianças do Jardim-de-Infância Maria Luciana Seruca (Paço de Arcos).

ADC

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Separados juntos: a crise chegou aos divórcios

Lê-se num texto pulicado no site da Associação Sindical dos Juízes Portugueses:

"Crise obriga casais separados a viver debaixo do mesmo tecto. Crianças são apanhadas no conflito dos pais. Casos dramáticos chegam às comissões de protecção, sinalizados pela escola, autoridades policiais e familiares próximos"

Leitura completa aqui.

ADC

Changing Education Paradigms... e não é com o aumento de alunos por turma!

A propósito das recentes notícias que nos dão conta da intenção do Governo aumentar o número de alunos por turma (ler no Público aqui), entre outras coisas, lembro-me logo das ideias de Sir Ken Robinson e surge-me a imagem mental da produção em "série" de crianças formatadas por anos e tudo o resto que este vídeo da RSA (Royal Society for the encouragement of Arts, Manufactures and Commerce) tão bem ilustra...


ADC

terça-feira, 17 de abril de 2012

1º Congresso Nacional da Ordem dos Psicólogos




Chegou o 1º Congresso Nacional da Ordem dos Psicólogos (consultar o site oficial aqui). Amanhã há workshops, entre eles o "Avaliação da qualidade da relação entre pais e filhos: Observação de interacções" dinamizado por Rute Agulhas.

No dia 20, Manuela Calheiros é oradora convidada e irá apresentar a comunicação "Mau-trato e negligência a crianças: Da definição e contextualização ao planeamento de estratégias de intervenção". A autora é sem dúvida uma referência na área dos maus-tratos; a título de exemplo, deixo-vos aqui disponível para leitura completa um "clássico" incontornável, o artigo "Calheiros, M. & Monteiro, M. B. (2000), Mau trato e negligência parental: Contributos para a definição social dos conceitos. Sociologia, Problemas e Práticas, 34, 145-176".

Programa completo disponível aqui:

ADC

Meninos de Oiro: Encontro "Maus-Tratos na Infância"

Amanhã na sede dos Meninos de Oiro, em Azeitão. Entrada livre.



ADC

Um sonho possível no Agrupamento de Escolas de Marvila

Exibição e debate do filme "Um sonho possível" de John Hancock Lee (2009) no Agrupamento de Escolas de Marvila (Lisboa), amanhã às 16h.



Num mês dedicado à prevenção dos maus-tratos, esta é uma iniciativa da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) Lisboa Oriental e do Grupo de Trabalho Escolas.

Luísa Lobão Moniz do SOS Criança - Instituto de Apoio à Criança (IAC), mestre em Educação Intercultural, será a comentadora convidada.

ADC

segunda-feira, 16 de abril de 2012

sábado, 14 de abril de 2012

CADin: Consulta da Adopção e Novas Relações Familiares

Consulta da Adopção
e Novas Relações Familiares

Adoptar uma criança é um dos desafios mais altruístas que uma família pode assumir. A adopção implica coragem, persistência, dedicação e uma dose imensa de amor para partilhar.

A consulta Adopção e Novas Relações Familiares do CADin foi pensada para todas as famílias corajosas que no decorrer da aventura que é acolher uma criança encontram dificuldades, medos e inseguranças sobre o desenvolvimento do seu filho e da sua família.

Contactos:
Edifício CADIn
Estrada da Malveira
2750-782 Cascais
Tlm. +351 214 858 240 (CADin)

Estrelas e Ouriços - Actividades em Família

Gosto deste site. Gosto mesmo deste site. Para quem tem miúdos (filhos, netos, sobrinhos, etc.) ou trabalha com miúdos e gosta de fazer programas com a criançada, este é "O" site para encontrar ideias bem giras. É de explorar em http://estrelaseouricos.familia.sapo.pt e espalhar pelos amigos! E também estão no Facebook em http://www.facebook.com/estrelaseouricos. Divirtam-se!


ADC

Mês da Prevenção dos Maus-Tratos inicia Ciclo de Cinema com "Vão-me Buscar Alecrim: Os Dias do Pai"

Ontem começou o Ciclo de Cinema do Mês da Prevenção dos Maus-Tratos (ver post sobre este evento aqui). E deve ter começado mesmo bem com o filme "Vão-me buscar Alecrim: Os dias do Pai". Gostava de ter assistido mas uma pequena (só em tamanho) exigência familiar não mo permitiu este ano. Mas para o ano, com a selecção de qualidade a que a organização nos tem habituado, certamente que não faltarei! Por isso, quem possa, que vá, e de certeza que vai gostar!

"Vão-me buscar Alecrim: Os dias do Pai" é um filme premiado dos irmãos Safdie. É uma história de um pai e duas crianças em Nova Iorque. É um filme com muitos pormenores auto-biográficos. É uma história de amor. Ponto final. Se ainda não o conhece, espreite o trailer!



E se quiser saber mais sobre o filme, sugiro o texto de Manuel Halpern na Revista Visão de 16/07/2010 (ler aqui).

ADC

sexta-feira, 13 de abril de 2012

1º Encontro Nacional sobre Crianças e Jovens em Perigo: Contextos, Investigação e Intervenção


No próximo mês irá decorrer no ISCTE-IUL o 1º Encontro Nacional sobre Crianças e Jovens em Perigo "Contextos, Investigação e Intervenção". Programa disponível aqui.

Até 16 de Abril poderão ser submetidos posters (clicar aqui para aceder às orientações da organização).

No final do Encontro será lançado o II Volume do livro "Crianças em Risco e Perigo: Contextos, Investigação e Intervenção" (ver Volume I aqui).

ADC

Conferência Internacional "Famílias em Risco: Contextos, Problemas e Desafios

Terminam hoje as inscrições para o Curso "Formação Avançada em CONTEXTOS FAMILIARES DE RISCO" (Abril a Junho de 2012) organizado pelo Instituto de Ciências da Família da Universidade Católica Portuguesa (ICF-UCP).

Para os interessados, ainda há tempo de ler aqui o folheto de divulgação e enviar a inscrição.

Associado a este curso, vai também decorrer em Lisboa no próximo mês de Maio, nos dias 4 e 5, a Conferência Internacional "Famílias em Risco: Contextos, Problemas e Desafios". Clicar aqui para aceder ao programa e à ficha de inscrição.


De salientar que este encontro vai contar com a participação de alguns oradores portugueses de renome e estrangeiros com reconhecido trabalho na área.

De entre estes, destaca-se Juan Luis Linares, Director do Mestrado em Terapia Familiar Sistémica e do Mestrado em Coaching Sistémico da Universitat Autònoma de Barcelona. É também Director da Unidade de Psicoterapia e da Escola de Terapia Familiar do Hospital de la Santa Creu i Sant Pau de Barcelona. Entre outros cargos, já foi presidente da European Family Therapy Association. Publica com regularidade artigos e livros, e um dos temas em que tem investido é o dos maus-tratos. A título de exemplo, aqui ficam alguns livros (clicar sobre o título):

Outro dos nomes em destaque é Jan Horwath, professora de Child Welfare da University of Sheffield. Com formação de base e larga experiência em Serviço Social no Reino Unido e noutros pontos do globo como a Nova Zelândia (país de referência quando se abordam questões relacionadas com o sistema de protecção, pioneiro nas Family Group Conferences). É autora de vários artigos e livros, destacando-se os seguintes:

Participa ainda nesta conferência Silvia Koller, professora da Universidade do Rio Grande do Sul (Brasil) que se tem dedicado à implementação de programas de prevenção e intervenção com crianças vítimas de violência (incluindo a sexual) e suas famílias no Brasil e noutros países da América Latina. Tem-se dedicado também a um programa de empowerment de jovens que procura sensibilizá-los para os seus Direitos, o Programa "Juventude em Cena". De entre as publicações da autora, destaca-se o livro:
ADC

Jornada "Crise e Mudança na Vida Emocional dos Jovens"

Divulgamos e sugerimos a partilha deste evento entre os potenciais interessados. Para fazer o download do programa, clicar aqui.


"O Centro Doutor João dos Santos - Casa da Praia, Instituição de Solidariedade Social (IPSS), centra a sua acção na observação, intervenção e encaminhamento de crianças, com idades compreendidas entre os 5 e os 12 anos de idade, que apresentam dificuldades de comportamento e aprendizagem escolar, por problemáticas do foro emocional.

O modelo de intervenção assenta numa equipa multidisciplinar especializada - professores, educadores, assistentes sociais, psicólogos, técnicos psicomotricistas e pedopsiquiatras - em ligação permanente com a comunidade, tendo como base a pedagogia terapêutica, metodologia proposta por João dos Santos para actuar junto destas crianças.

O Centro Doutor João dos Santos - Casa da Praia dinamiza regularmente acções de formação, seminários, debate de temas ligados à problemática da criança - e da família - em risco. Dentro deste espírito, vai realizar a sua 3ª Jornada - "CRISE E MUDANÇA NA VIDA EMOCIONAL DOS JOVENS - das dificuldades actuais na escola à perspectiva da evolução no futuro" - no próximo dia 12 de Maio, no Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Convictos da pertinência da temática desta jornada, cujo programa juntamos, vimos divulgá-lo, solicitando, aos que dirigem instituições/serviços que o façam junto dos seus técnicos e associados.

Antecipadamente gratos, apresentamos os melhores cumprimentos.

A Comissão Organizadora"

ADC

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Dados sobre o acolhimento de crianças e jovens 2011... que plano de intervenção em 2012?

Nos últimos dias na comunicação social...

"Número de crianças em acolhimento desceu 27%" - Ler no Diário de Notícias (fonte: Agência Lusa)

"Segurança Social: Governo apresentará "até junho" plano de intervenção para crianças e jovens institucionalizados" - Ler no Porto Canal (fonte: Agência Lusa)

A que se deve esta descida de 27%? A mais e melhor trabalho a montante com as crianças e os jovens, e as suas famílias?

E os jovens acolhidos? Que soluções para estes, quando o regresso à família não se perspectiva? Será que é desta que vão surgir meios para criar, por exemplo, mais apartamentos de autonomia para apoiar os jovens institucionalizados no seu processo de autonomização?

E em relação às crianças mais novas, quando esgotada a possibilidade de regresso à família biológica, será que vão encontrar neste plano de intervenção respostas para uma mais fácil adopção?


Será que... Tantas questões por responder. A aguardar por mais notícias sobre o plano de intervenção e com a esperança de que o foco não seja só o sucesso escolar (por mais importante que ele seja!).

ADC

terça-feira, 3 de abril de 2012

Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância 2012

Divulgamos e convidamos a divulgar. Obrigada!
Programa disponível aqui.


COMUNICADO

"A Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco, a Associação de Mulheres Contra a Violência e a Câmara Municipal de Lisboa associam-se, desde 2008, para a organização de actividades no âmbito do Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância* – mês de Abril, à semelhança do que acontece nos Estados Unidos da América, desde 1983, e em diversos países europeus, desde o início deste século. Sendo a protecção das criança responsabilidade de toda a sociedade, associamo-nos novamente para celebrar o Mês de Abril como o mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância, com iniciativas, cujo programa segue em anexo.

Ao longo dos anos, esta iniciativa tem vindo a ser abraçada por vários concelhos do país, esperando-se que a médio e longo prazo se torne num Mês Nacional da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância.

Pretende-se, com esta iniciativa, consciencializar a comunidade para a importância da prevenção dos maus-tratos na infância, do fortalecimento das famílias no sentido de uma parentalidade positiva e ainda do fundamental envolvimento comunitário.



JUNTOS/AS FAZEMOS A DIFERENÇA! 

Algumas evidências…

A OMS estima que cerca de:

  • 40 milhões de crianças são vítimas de alguma forma de maus-tratos;
  • 53,000 mortes de crianças em 2002 foram por homicídio. 

O World Report on Violence Against Children (Nações Unidas, 2006) apresenta também alguns dados que importam referir:

  • Entre 20% a 65% das crianças em idade escolar nos países desenvolvidos revelam ter sido vítimas de bullying verbal ou físico na escola nos anteriores 30 dias (Global School-Based Student Health Survey). Foram identificadas 15 taxas semelhantes nos países industrializados. 
  • Estima-se que 50 milhões de raparigas e 73 milhões de rapazes com menos de 18 anos experienciaram relações sexuais forçadas ou outro tipo de violência sexual envolvendo contacto físico. 
  • Apenas 2,4% das crianças de todo o mundo são legalmente protegidas da punição corporal nos vários contextos em que se inserem. 

De acordo com o relatório Five Years On: a global update on violence against children (2011) produzido pelo Conselho Consultivo de ONG’s (Organizações Não Governamentais) de Acompanhamento do Estudo sobre a Violência contra as Crianças das Nações Unidas:

  • Em média 86% das crianças entre os 2 e os 14 anos experienciaram violência psicológica nas suas casas mensalmente; 
  • A punição corporal por parte de professoras/es ainda é autorizada em 78 países; 
  • Em alguns países mais de 97% das/os estudantes foram agredidas/os na escola; 
  • Crianças portadoras de deficiência têm quatro a cinco vezes mais probabilidade de experienciar violência e abuso sexual do que crianças não portadoras. 
Segundo dados do Relatório de Actividades das Comissões de Protecção de Crianças e Jovens em Risco, em 2010 houve um volume processual global de 68300 processos, com 68421 crianças e jovens acompanhadas/os, dos quais 28103 correspondem a novos processos instaurados. Na maioria são crianças e jovens vítimas de negligência, exposição a modelos de comportamento desviante, abandono escolar e maus-tratos psicológicos.

O Relatório “Risks and safety on the Internet: the perspective of european children” (Eukids Online, 2010) refere que '12% dos jovens entre os 9 e os 16 anos dizem que foram perturbadas, intimidados ou maltratados através da Internet'.

Segundo os dados disponibilizados pelo Child Abuse Training Services – Prosecuting Attorneys Association of Michigan (In http://www.michiganprosecutor.org/cats/index.html):

  • Todos os dias 4 crianças morrem vítimas de maus-tratos;
  • A cada 10 segundos 1 novo caso de maus-tratos é denunciado;
  • Os maus-tratos na infância são transversais a qualquer estrato sócio económico, etnia, cultura, religião e nível de educação;
  • Os custos económicos dos maus-tratos são incalculáveis estimando-se nos EUA em 2007 cerca de $104 biliões de dólares;
  • Os maus-tratos na infância estão associados a vários tipos de problemáticas nomeadamente, toxicodependência, alcoolismo, gravidez adolescente, delinquência, criminalidade juvenil e outros comportamentos de risco. 

Lisboa, Abril de 2012

* A Organização Mundial de Saúde (OMS) define abusos ou maus-tratos às crianças como todas as formas de lesão física ou psicológica, abuso sexual, negligência ou tratamento negligente, exploração comercial ou outro tipo de exploração, resultando em danos actuais ou potenciais para a saúde da criança, sua sobrevivência, desenvolvimento ou dignidade num contexto de uma relação de responsabilidade, confiança ou poder. Estabelece, ainda, quatro tipos de maus-tratos: físico, emocional, sexual e negligência."




ADC