CriançaSemRisco

sábado, 30 de junho de 2012

Governo vai aumentar as vagas para acolher crianças e jovens em risco

O jornal Público publicou um notícia sobre o aumento de vagas de acolhimento institucional de crianças no sentido das vagas especializadas. Finalmente alguns passos no sentido do acolhimento terapêutico.

Governo vai aumentar as vagas para acolher crianças e jovens em risco - Sociedade - PUBLICO.PT

PVS

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Plano DOM

Muito se tem falado da continuação ou não do Plano DOM. É verdade que em tempo de crise todos os apoios são bem-vindos às instituições e qualquer corte adicional implica em muitos casos despedimentos e diminuição dos cuidados às crianças e jovens. SITUAÇÃO DE TODO A EVITAR!!!

Sem querer ser demasiado polémico gostava de mais uma vez, e agora em tempo de balanço, desafiar o conceito do plano DOM do qual de alguma forma fui sempre crítico. Não por discordar na globalidade da sua filosofia até pelo contrário - reconheço em vários técnicos que encabeçaram o Plano DOM no ISS um enorme mérito técnico - mas sim por ter sempre achado que o plano não se inseria numa política integrada para o acolhimento de crianças em Portugal. Senão vejamos:

a) Chegámos ao fim do programa sem ser publicado o decreto de lei que deveria regular a medida de acolhimento institucional, ficando esta medida de promoção e protecção como a única por regular.

b) Chegámos ao fim do programa sem termos definido uma política clara para a especialização das respostas de acolhimento. Pelo contrário, cada vez mais se ouve os profissionais da área afirmarem que não notam diferença entre os CAT e os LIJ.

c) Chegámos ao fim do programa sem termos articulado a diminuição do acolhimento institucional com o aumento /promoção do acolhimento familiar, tal como os outros países do sul da Europa o fizeram, a exemplo a Espanha (apesar de termos regulado a medida de acolhimento familiar), de forma a aproximarem os seus modelos dos países mais desenvolvidos.

A ausência das três reformas acima enunciadas na minha opinião faz com que a curto prazo tudo volte à época pré Plano DOM.

Reparem, neste momento, a ausência de regulação da lei faz com que o acolhimento continue a ter procedimentos muito díspares e que não se consiga consolidar um modelo. A especialização não ocorreu; contudo a população de crianças em acolhimento mudou o seu perfil (aumento significativo de crianças com problemas de saúde mental e de comportamento) o que irá perturbar o funcionamento das instituições. A criação de um sistema de acolhimento familiar não ocorreu o que significa, se existir com a crise um aumento na globalidade do número de crianças em perigo, não será estranho observarmos de novo um aumento do número de crianças em instituição.

Então o que é que ficou, de forma clara e unívoca?

Um sistema centralizado de vagas. Isto um serviço não previsto na Lei de Promoção e Protecção que acrescenta um outro nível decisório ao sistema de protecção e que afasta as Comissões de Protecção de Crianças e Jovens do processo de encaminhamento e negociação directa com as instituições no sentido de encontrar a melhor resposta para a criança que acompanham.

Na verdade continuo sem perceber porque é tão difícil fazermos reformas estruturais no nosso país.

PVS

domingo, 17 de junho de 2012

Crianças da Vila

E se o nosso mundo fosse uma vila de 100 pessoas?



PVS

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Formação em Contenção Física Segura de Crianças e Jovens

A Labirintos Coloridos está a organizar a primeira formação aberta em "Contenção Física Segura de Crianças e Jovens" com o objectivo de apoiar a implementação de espaços seguros e calmos em contexto de acolhimento residencial nos próximos dias 2 e 9 de Julho.

Esta formação inicial terá a duração total de 12 horas (dois dias de formação),  sendo indicada para elementos de equipas técnicas e educativas que trabalhem com crianças e jovens com dificuldades emocionais e de comportamento.

Terá um cariz fundamentalmente prático e surge como resposta às necessidades dos colaboradores de instituições de acolhimento, e de forma a proporcionar ferramentas para gerir os comportamentos desafiantes e agressivos cada vez mais presentes em crianças e jovens institucionalizados.

O modelo de gestão de comportamento subjacente à formação baseia-se num conjunto de noções pró-activas e de estratégias de prevenção. Neste sentido, prioriza-se uma aproximação que seja contentora dos comportamentos desafiantes e que promova ao mesmo tempo o uso planeado de intervenções físicas, cada vez menos restritivas e como último recurso.

A formação estará ao cargo de Catarina Rodrigues, formadora habilitada pela PRICE (Protecting Rights in a Caring Environment) – líder em formação de Contenção Física no Reino Unido e acreditada pela BILD (Physical Interventions Acreditation Scheme).

Para mais informações relativas à formação e ficha de inscrição, visite o site:
https://sites.google.com/a/labirintoscoloridos.com/precomportamentos-agressivos

CBR

sexta-feira, 8 de junho de 2012

ISPCAN no Facebook

A Sociedade Internacional para a Prevenção do Abuso e Negligência de Crianças (ISPCAN - International Society for Prevention of Child Abuse and Neglect) chegou ao Facebook. A todos os que se interessam pelo tema, esta é uma organização de referência a seguir! Podem fazer "Like / Gosto" à página em www.facebook.com/ispcan e estar assim a par de todas as novidades.

ADC

Relatório Anual de Avaliação da Actividade das Comissões de Protecção de Crianças e Jovens 2011

Disponível para leitura e download aqui.

ADC

Convenção do Conselho da Europa para a Protecção das Crianças contra a Exploração Sexual e os Abusos Sexuais

A 28 de Maio foi ratificada (ver publicação em Diário da República aqui) a Convenção do Conselho da Europa para a Protecção das Crianças contra a Exploração Sexual e os Abusos Sexuais.

O texto completo está disponível para leitura em português aqui.

ADC