CriançaSemRisco

sexta-feira, 10 de março de 2006

Ciudar de quem cuida

Muito se tem falado ultimamente sobre as crianças em instituições, sobre como é necessário criar as melhores condições possíveis para estas. No entanto, o discurso sobre instituições de/para crianças acaba, ou pelo menos não vai muito para além disto, como se a "vida" de uma instituição se resumisse apenas às crianças de que cuida.

Raramente ouvimos falar dos técnicos e funcionários que "cuidam" destas crianças e, quando ouvimos, é muitas vezes para os criticar enquanto pessoas e enquanto técnicos. No entanto, são eles que diariamente são confrontados com as ansiedades decorrentes da sua, como alguém designou, "tarefa impossível". A maior parte das vezes sozinhos, têm de lidar com todas as dificuldades emocionais inerentes a esta profissão, além de recursos materiais e humanos insuficientes.

Uma instituição que se pretende que "cuide" de crianças não o pode fazer sem conseguir "cuidar" dos seus membros. Estes precisam de ser apoiados, suportados, entendidos e "cuidados" na sua tarefa de cuidar. É nesse sentido que a supervisão e a consultoria externa assumem particular importância.

Só conseguimos cuidar de alguém, porque alguém cuidou de nós.

TSM